Ops 4.0: The zero hour for a budget-driven transformation

Ops 4.0: A hora e a vez das transformações baseadas em orçamento

Por Mercedes Goenaga, Philipp Radtke, Kevin Speicher, e Rafael Westinner

Técnicas analíticas sofisticadas tornaram o orçamento base zero mais viável, flexível e lucrativo do que nunca para toda uma organização.

Desenvolvido pela primeira vez há quase meio século, o orçamento base zero (ZBB) já provou sua eficácia possibilitando bilhões de dólares em reduções de custos permanentes. Alguns dos exemplos mais conhecidos envolvem empresas no setor de consumo, onde o crescimento lento exigia ações drásticas.

Em outros setores, porém, o ceticismo continua sendo a atitude mais comum; os executivos temem que essas ideias demandem tanto tempo e atenção que a organização não consiga fazer mais quase nada – e que, como consequência, o orçamento base-zero acabe sendo posto em prática apenas uma única vez.

Atualmente, contudo, algumas empresas já estão disponibilizando ferramentas simples de digital analytics para orçamento base zero a quase todos os funcionários com responsabilidade orçamentária. Com isso, estão incorporando velocidade, escala e sustentabilidade a todo o processo de orçamento base zero e obtendo economias de custos de 10% a 25% já no primeiro ano, com a possibilidade de alcançar economias adicionais subsequentes.

Trade-offs melhores. A prova está na orçamentação. Historicamente, a elaboração de orçamentos base zero exigia o desenvolvimento de templates detalhados e a compilação de centenas de planilhas com diferentes estruturas de dados e diferentes níveis de qualidade e granularidade. As plataformas de planejamento integrado de hoje incorporam os dados necessários – incluindo, em alguns casos, benchmarks detalhados de anos, ou mesmo décadas, atrás.

Dessa forma, os gerentes são capazes de realizar prontamente trade-offs complexos que equilibram considerações sobre as políticas da empresa (por exemplo, uma preferência por passagens não reembolsáveis) com variáveis como tarifas, custo médio de hospedagem, época do ano, país e senioridade do passageiro. A plataforma integrada facilita a iteração em qualquer direção dos vários componentes do plano de orçamento: seja de cima para baixo (dos executivos para os planejadores) ou de baixo para cima, em um ciclo curto. O resultado é um orçamento fundamentado em insights detalhados, com responsabilidade pessoal clara em cada item – uma imensa transformação cultural.

Sustentar uma nova cultura. Essas melhorias podem continuar existindo facilmente ano após ano. Certa empresa global criou um centro de excelência onde analistas de orçamento base zero trabalham com os responsáveis pelas categorias de custo para atualizar as categorias e os preços de modo que a atualização do orçamento de cada ano utilize os dados otimizados mais recentemente. Esse investimento humano ajuda a garantir que a melhoria contínua da empresa vá além do próprio orçamento base zero.

Este artigo foi adaptado de “Ops 4.0: Fueling the next 20 percent productivity rise with digital analytics”.

Related Articles