Gov-3_thumbnail_1536x1536_500_Standard

Por que é preciso aumentar a produtividade dos governos

Por que é preciso aumentar a produtividade dos governos

Governos encaram a questão: como fazer mais com menos? Elevar a produtividade poderia poupar 3,5 trilhões de dólares ao ano.

O aumento dos custos e da demanda tem elevado rapidamente os gastos com serviços públicos essenciais – como educação, saúde e transporte – enquanto os países enfrentam desafios complexos como o envelhecimento da população, a desigualdade econômica e problemas crônicos de segurança. Os gastos públicos totalizam mais de um terço do PIB global, os orçamentos são rígidos e o déficit do setor público mundial chega perto dos trilhões de dólares ao ano.

Video

Ao mesmo tempo, os governos continuam tendo dificuldades para atender às expectativas cada vez maiores dos cidadãos. A satisfação com os principais serviços estatais, tais como transporte público, escolas e saúde é menos da metade da satisfação com provedores não estatais, como, por exemplo, bancos e empresas de energia, água etc.

Os governos precisam urgentemente encontrar uma forma de produzir resultados melhores – e oferecer uma experiência mais satisfatória aos cidadãos – a um custo sustentável. Um novo estudo do MCG (McKinsey Center for Government (MCG), intitulado “Government productivity: Unlocking the $3.5 trillion opportunity”, indica que é possível alcançar esse objetivo. O estudo revela que diversos países alcançaram melhorias de produtividade bastante significativas nos últimos anos — melhorando os indicativos de segurança pública, saúde e educação e mantendo estáveis, ou até reduzindo, os gastos per capita ou por aluno nesses setores.



Se outros países conseguirem realizar as mesmas melhorias já alcançadas nesses bolsões de excelência, a redução nos gastos dos governos em todo o mundo pode chegar a US$ 3,5 trilhões por ano até 2021 – equivalente ao déficit fiscal global. Os países podem alternativamente optar por manter as despesas estáveis e, ao mesmo tempo, aumentarem a qualidade dos serviços básicos. Por exemplo, se todos os países estudados tivessem melhorado a produtividade de seus sistemas de saúde nos últimos cinco anos aos mesmos níveis das nações comparáveis que apresentaram melhor desempenho, poderiam ter acrescentado 1,4 ano à expectativa de vida saudável de suas populações. Isso se traduziria em 12 bilhões de anos de vida saudável a mais – sem nenhum gasto per capita adicional.

É fundamental encontrar uma forma de desbloquear essa oportunidade de aumento da produtividade. O desafio é que, até o momento, houve pouco progresso na mensuração da produtividade do governo — mesmo sendo a produtividade uma medida vital e bem estabelecida do desempenho de economias nacionais e de negócios do setor privado. Consequentemente, é difícil para os governos avaliarem o verdadeiro retorno de seus gastos e o debate público tende a se concentrar em como aumentar os insumos e não na qualidade dos resultados. Em geral, os governos consideram um desafio identificar oportunidades de melhoria por meio do aprendizado com outros países – ou com outras regiões ou setores dentro do mesmo país.

Para ajudar a eliminar essa lacuna, o MCG desenvolveu uma abrangente base de dados e uma metodologia de benchmarking — Government Productivity Scope — para começar a avaliar a eficiência e eficácia dos gastos públicos. O MCG aplicou a ferramenta em 42 países, que juntos representam 80% do PIB global, com foco em sete fatores: saúde, educação primária, secundária e terciária, segurança pública, transporte rodoviário e arrecadação de impostos. A pesquisa foi complementada com insights obtidos a partir de 50 entrevistas com líderes governamentais e mais de 200 estudos de caso. Este documento apresenta a primeira versão da análise do MCG, que continuaremos a ampliar e aperfeiçoar em diálogo com líderes governamentais e especialistas acadêmicos.

As conclusões iniciais apontam para diferenças expressivas na produtividade relativa dos países. Mesmo entre países comparáveis com resultados bastante semelhantes, o governo menos eficiente gasta hoje mais que o dobro por unidade de resultado do que o mais eficiente. E enquanto a maioria dos países luta para conter o crescimento dos gastos, o MCG encontrou exemplos em todos os setores de governos que reduziram os gastos por unidade e obtiveram melhores resultados.

Essas diferenças indicam uma extraordinária oportunidade para os governos impulsionarem a produtividade, economizarem dinheiro e oferecerem resultados melhores para os cidadãos. Para aproveitar essa oportunidade, no entanto, os governos precisam aprofundar suas capacidades funcionais em quatro áreas-chave: financeira, comercial, tecnologia digital/data analytics e gestão de talentos. Conforme o MCG revela, países pioneiros reformularam e fortaleceram essas funções para que elas desempenhem uma função de liderança mais estratégica visando maior eficiência e melhores resultados. Nessas áreas, os governos adotaram uma abordagem ambiciosa e estruturada para transformar a eficácia do Estado.

MAIS SOBRE A MCKINSEY

The opportunity in government productivity

O McKinsey Center for Government

O McKinsey Center for Government é um hub global de pesquisa, colaboração e inovação no desempenho de governos