Por que este é o momento certo de reinventar a entrega de projetos de capital

O que sua empresa seria capaz de realizar se seus grandes projetos de capital fossem 30% a 50% mais rápidos e econômicos? Esta oportunidade é mais real do que se imagina.

Projetos 5.0 é um novo modelo para a entrega de grandes projetos de capital no setor da indústria pesada. Na primeira de uma futura série de publicações, defendemos uma abordagem radicalmente diferente para o setor e destacamos as seis mudanças fundamentais que poderão transformar a performance na entrega de projetos.

Nas últimas duas décadas, as principais indústrias reduziram substancialmente o custo e o tempo da entrega de projetos mudando o modo como os executam. O custo dos voos espaciais caiu 75%, por exemplo. As montadoras de veículos aceleraram o desenvolvimento de novos modelos em mais de 30%. Os grandes fabricantes reduziram o lead time pela metade e dobraram a produtividade e a produção fabril.

Sidebar

Aplicar esses mesmos princípios subjacentes aos grandes projetos de capital de indústrias pesadas poderá gerar uma mudança radical na performance, com o potencial de reduzir o custo e o prazo efetivos de um projeto em 30% a 50%, mais do que dobrando o retorno do projeto. No entanto, o setor tem tido dificuldades até mesmo para alcançar taxas moderadas de melhoria de produtividade ou para entregar projetos no prazo; uma pesquisa recente com altos executivos de projetos constatou que, em média, os projetos estouram o orçamento e o cronograma em 30% a 45%.

A crise do coronavírus acelerou ainda mais a urgência de mudança. Lockdowns, escassez de mão de obra e disrupções na cadeia de suprimentos atrasaram os programas de construção em meses. A perspectiva de um longo e incerto período de recuperação está forçando as empresas a repensarem os planos de projetos futuros.

Para enfrentar estes e novos desafios, Projetos 5.0 se vale dos avanços da Quarta Revolução Industrial, que introduziu automação, machine learning, tecnologias inteligentes e a Internet das Coisas na fabricação convencional e nas práticas industriais. A incorporação dessas técnicas a um conjunto mais amplo de mudanças (incluindo redes de parceria mais fortes, maior agilidade e flexibilidade, e antecipação inteligente do futuro ou future-proofing) promete liberar todo o potencial dos projetos de capital e entregar valor duradouro.

Uma indústria pronta para a mudança

No cerne do histórico nada invejável do setor está um modelo de entrega de projetos que permaneceu praticamente inalterado por um quarto de século ou mais. É um modelo assolado por problemas e ineficiências: falta de pensamento sistêmico integrado; priorização da gestão dos custos de curto prazo sobre os resultados de longo prazo; comunicação deficiente entre os stakeholders; e projetos individualizados e sistemas de planejamento rígidos que têm dificuldade para identificar ou se adaptar a novas demandas. Em conversas com líderes da indústria e especialistas do setor, sintetizamos as maiores fontes de perda de valor que afligem os projetos de capital de hoje (Quadro 1).

We strive to provide individuals with disabilities equal access to our website. If you would like information about this content we will be happy to work with you. Please email us at: McKinsey_Website_Accessibility@mckinsey.com

Os líderes do setor têm feito experimentos com uma lista crescente de novas tecnologias e processos, desde os chamados gêmeos digitais até algoritmos de planejamento acionados por inteligência artificial. Essas ferramentas já começaram a produzir resultados reais: uma mineradora combinou ferramentas de monitoramento e rastreamento digital em tempo real com práticas de construção lean para reduzir em seis meses seu cronograma original de construção de 18 meses.

Entretanto, uma transformação efetiva na entrega de projetos de capital exigirá mais do que intervenções direcionadas. Na melhor das hipóteses, ferramentas e tecnologias de foco restrito podem atuar apenas sobre uma pequena parte do valor total em jogo. Na pior, a implantação inadequada de tecnologias e processos pode acabar acrescentando complexidade e confusão desnecessárias ao projeto.

Projetos 5.0: Uma abordagem cleansheet para a entrega de projetos

O momento é propício para uma mudança radical na entrega de grandes projetos de capital: devemos começar do zero (cleansheet) e reconstruir por inteiro o modelo de entrega de projetos. Ao longo do ano passado, trabalhamos com líderes e especialistas do setor de todo o mundo para tentarmos reimaginar como esse modelo funcionaria. Nós nos propusemos o desafio de criar um modelo que pudesse atingir cinco objetivos principais:

  1. Reduzir o custo e o prazo efetivos dos projetos em 30% a 50%
  2. Produzir resultados seguros e previsíveis
  3. Criar uma plataforma de inovação e melhoria contínua
  4. Maximizar o valor total do projeto para todos os stakeholders, inclusive o usuário final
  5. Permitir que projetos cumpram as metas de sustentabilidade

A iniciativa “Projetos 5.0” precisou passar por mais um teste. Ela teria de ser uma solução viável que pudesse ser implementada utilizando elementos, métodos e tecnologias que não só estivessem disponíveis, como também fossem comprovadamente capazes de gerar valor. O estudo dos elementos de maior sucesso em vários modelos de entrega nos permitiu identificar seis mudanças fundamentais necessárias para transformar a entrega de grandes projetos de capital (Quadro 2):

We strive to provide individuals with disabilities equal access to our website. If you would like information about this content we will be happy to work with you. Please email us at: McKinsey_Website_Accessibility@mckinsey.com
  • Um ecossistema de parceiros que colabora em vários projetos para maximizar o valor de ponta a ponta e proporcionar funcionalidade máxima ao usuário final.
  • Industrialização e inovação, com adoção de processos padronizados para tarefas repetidas. A ampla utilização de padronização e modularização reduz os custos recorrentes de desenho e permite construir offsite, fora do local do projeto em si. O investimento em inovação favorece a experimentação contínua, com ideias bem-sucedidas sendo implantadas rapidamente como padrões novos ou atualizados.
  • Agilidade, flexibilidade e resiliência, combinadas com uma espinha dorsal estável de processos disciplinados, monitoramento do progresso e boa gestão. Equipes multifuncionais trabalham juntas para desenvolver e entregar elementos do projeto, resolver problemas e responder às mudanças. Os recursos são rapidamente realocados em um projeto e entre projetos, conforme necessário.
  • Capacitação contínua por meio do redesenho da “cadeia de suprimentos de pessoas” para garantir que as empresas adquiram, desenvolvam e retenham a mão de obra e o talento de que precisam para um trabalho consistente e de alta produtividade em todas as fases do projeto.
  • Um modelo operacional baseado em dados e fundamentado em uma arquitetura digital robusta, compartilhado por todos os stakeholders do ecossistema. A plataforma de tecnologia do projeto deve permitir visualizar o progresso em tempo real, promover colaboração no desenho e na resolução de problemas, e permitir a tomada de decisões com base em dados e insights.
  • Os projetos devem antecipar com inteligência o futuro (future-proofing) mediante o uso de métricas e incentivos que levem em conta os impactos de todo o ciclo de vida, as oportunidades futuras e os riscos, e ao mesmo tempo promovam a inovação para assegurar a sustentabilidade comercial e ambiental de longo prazo.

Reimaginando a mudança

Em setembro de 2020, conduzimos uma pesquisa mundial com mais de 300 executivos seniores e tomadores de decisões na cadeia de valor dos grandes projetos de capital, incluindo proprietários, grandes empreiteiros, prestadores de serviços de engenharia e fabricantes de equipamentos. Pedimos que estimassem a viabilidade dessas seis mudanças e seu impacto potencial na entrega de projetos.

Os entrevistados acreditam que a implementação bem-sucedida dessas mudanças pode reduzir os custos e a duração de um projeto em 30% ou mais (Quadro 3).

We strive to provide individuals with disabilities equal access to our website. If you would like information about this content we will be happy to work with you. Please email us at: McKinsey_Website_Accessibility@mckinsey.com

A pesquisa também sugere que, embora o setor esteja pronto para mudanças, poucos líderes começaram a transição para um modelo aprimorado de entrega de projetos. Mais de 75% dos entrevistados disseram que uma mudança significativa no modelo de entrega de projetos era parte da agenda estratégica de sua organização, sendo que mais da metade colocou-a no topo de sua lista de prioridades. Entretanto, 86% dos entrevistados afirmaram que suas organizações ainda não haviam feito progresso significativo neste aspecto.


Mudar um modelo de entrega de projetos em uso há décadas sempre será um desafio, especialmente quando esse trabalho envolve inúmeros stakeholders e investimentos de capital multimilionários. A transição para um modelo como o Projetos 5.0 será, portanto, uma jornada em várias etapas. As empresas podem começar definindo com ousadia o futuro ao qual aspiram, criando um roteiro com as iniciativas prioritárias – incluindo aquelas especificamente concebidas para permitir grandes mudanças de mentalidade em todo o ecossistema – e definindo novas maneiras de trabalhar.

Em um próximo relatório, examinaremos em profundidade as seis mudanças fundamentais exigidas pelo novo modelo de entrega de projetos. Também descreveremos as principais ações que permitirão a transição para Projetos 5.0 e traçaremos um plano para mudanças rápidas e sustentáveis.

Related Articles