É um privilégio trabalhar com membros de equipa excecionais, líderes fascinantes e pessoas de culturas muito diversas, com quem já aprendi muito.

Porquê a McKinsey (após a Universidade e o MBA)?

Ainda na universidade, comecei a procurar a empresa certa para iniciar a minha carreira. Procurava um emprego desafiante, onde pudesse alargar a minha experiência internacional, trabalhar em diferentes setores e áreas funcionais e, acima de tudo, aprender rapidamente. Depois de ponderar muitas alternativas, considerei que consultoria estratégica correspondia ao que eu procurava, e a McKinsey revelou-se a escolha certa para materializar os meus objetivos pessoais e profissionais.

Como Analista, trabalhei em mais de 10 equipas McKinsey, em cinco setores (Banca, Seguros, Pasta & Papel, Media & Entretenimento, e Saúde), em três países (Portugal, Espanha e Angola) e em diversas áreas funcionais (marketing, corporate finance, gestão do risco, organização e gestão da supply chain). A maior recompensa desta experiência foi o privilégio de trabalhar com mais de 50 colegas e com mais de 100 membros da equipa do cliente, incluindo líderes fascinantes e pessoas de culturas muito diversas, com quem aprendi muito.

Após três anos como Analista, entrei no MBA da Columbia Business School. Quando o terminei, decidi voltar para a McKinsey. Atualmente, como Associado, sou responsável pelo desenvolvimento dos membros da equipa mais juniores, estabelecendo fortes relações com membros seniores do cliente, e suportando o processo de tomada de decisões importantes por parte do cliente.

Destaques da experiência profissional

Da minha experiência profissional destacaria uma operação greenfield em África como um dos momentos mais marcantes para mim.

Este era um projeto de crescimento estratégico para o nosso cliente e o desafio era enorme: desenhar, sindicar e construir uma nova empresa num mercado bastante desconhecido, num setor em que eu nunca tinha trabalhado antes. Este projeto foi particularmente desafiante, uma vez que a dinâmica do setor era bastante complexa, tínhamos prazos de implementação extremamente exigentes e muitos percalços na frente operacional. Ao longo deste projeto, interagimos com todos os departamentos da empresa e tive a oportunidade de gerir ativamente e dar coaching aos membros da equipa do cliente e de aconselhar diretamente o futuro CEO.

Esta foi uma experiência extremamente compensadora, uma vez que não apenas aprendi muito sobre um setor e um país novos para mim, como também tive a oportunidade de construir algo do zero e, no final, celebrar os resultados do trabalho. Também adorei a experiência de trabalhar num novo país, onde agora tenho grandes amigos.

Conciliar o trabalho com os interesses pessoais

Sou um apaixonado por desporto (futebol, ténis, corrida, snowboard) e uma das questões que me coloquei quando tive de decidir que setor ou empresa escolher para a minha carreira profissional foi: conseguirei manter um estilo de vida equilibrado e ter tempo livre para os hobbies de que mais gosto? Considerando a intensidade dos projetos, a McKinsey parecia ser uma escolha difícil. No entanto, cinco anos depois, continuo a jogar na equipa de futebol da minha universidade todas as semanas, a jogar ténis pelo menos uma vez por semana, e a conseguir organizar uma viagem à neve com os meus amigos todos os anos, e ainda arranjei tempo para começar a aprender a fazer surf.

Columbia Business School
MBA

Nova School of Business & Economics
Licenciatura em Economia